Borussia Mönchengladbach tem atuação pouco inspirada e conta com Alassane Pléa para empatar em Augsburg

plea
Foto: Divulgação/Bundesliga

Depois de uma boa apresentação na estreia da Bundesliga, ao triunfar por 2-0 diante do Leverkusen, o Borussia Mönchengladbach voltou a campo nesse sábado (1º de setembro), diante do Augsburg, na WWK Arena, em jogo válido pela 2ª rodada da Bundesliga. Utilizando a mesma formação da estreia, os Potros tiveram um desempenho reverso, mas ainda assim conquistaram um ponto, graças ao francês Alassane Pléa, que anotou o tento dos Potros no empate por 1 a 1.

O início, todavia, foi promissor. Ainda antes do primeiro minuto os DieFohlen chegaram com perigo, algo que rapidamente mudaria, com uma velha jogada da equipe da casa: assistência de Max para Gregoritsch, cena bem comum na temporada passada e responsável pela campanha do Augsburg na liga. Com muita pouca inspiração, o Gladbach até teve uma chance de ouro para igualar o marcador, após excelente jogada de Thorgan Hazard, que driblou o goleiro e serviu Fabian Johnson, bloqueado em cima da linha pelo defensor.

Sem muitas emoções e tampouco bom futebol a primeira etapa terminou com a vantagem mínima para os donos da casa, em uma primeira metade de raríssimas oportunidades. Insatisfeito com a atuação, o treinador Dieter Hecking promoveu as entradas de Zakaria e Pléa logo no intervalo, nas vagas de Rafffael, bem abaixo, e Beyer. As mudanças foram corretas por parte do comandante, no entanto, as escolhas foram equivocadas, uma vez que Hofmann, Strbol e Johnson, que pouco influenciaram ao longo da partida, permaneceram em campo.

O resultado não poderia ser outro: pressão do Augsburg nos minutos iniciais da etapa final, mesmo com as mudanças realizadas, obrigando o arqueiro Yann Sommer a aparecer de forma magnífica para realizar grandes defesas, relembrando os bons tempos do goleiro, que começa a voltar o seu bom futebol. Após suportar a pressão dos mandantes, os DieFohlen foram em busca do empate através do centroavante francês Alassane Pléa, aproveitando desvio no primeiro poste e escorando para as redes.

Ainda havia tempo suficiente para a virada, porém o Gladbach seguia tomando decisões equivocadas no contra-ataque, que estava ao bel prazer da equipe durante a parte final da etapa complementar. Mesmo com uma alteração a fazer, Hecking promoveu a entrada do promissor Michael Cuisance somente aos 89’, na vaga de Neuhaus, em apresentação apagada. O treinador poderia ter lançado o francês com mais tempo de jogo, e possivelmente na vaga de jogadores que contribuíram menos, mas não o fez.

Sommer (7.5), Beyer (5.5)/Zakaria (6.5), Ginter (6), Jantschke (6.5), Wendt (6); Strobl (5.5), Neuhaus (5.5), Johnson (6), Hofmann (5); Hazard (6), Raffael (5)/Pléa (6.5).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s