Lucien Favre: o nome do renascimento do Borussia Mönchengladbach

lucien favre
Foto: Divulgação/WZ

O Borussia Verein für Leibesübungen 1900 Mönchengladbach, ou apenas Borussia VfL Mönchengladbach, foi fundado em 1º de agosto de 1900. Os Potros rapidamente ascenderam na pirâmide do futebol germânico, alcançando a promoção a Bundesliga em 1966. O sucesso dos Borussen chegou na década de 70, considerada a ‘golden age’ do clube – época em que o clube conquistou a maioria de suas taças.

Obrigado, Lucien Favre!

Apesar do período de glória ter chegado nos anos 70, o Borussia conquistou seu primeiro troféu na prestigiada DFB Pokal – ao superar o Karlsruher por 3 a 2. Depois disso, os Potros conquistaram a Bundesliga nas temporadas 1970, ’71, ’75, ’76, ’77, elevando o patamar no clube tanto em solo nacional quanto internacional – com dois títulos e dois vices da Uefa Cup, além do vice-campeonato da Uefa Champions League, em 1977.

O Borussia atuava com um futebol vertical, rápido e ofensivo, o que lhes deu o apelido de Die Fohlen, ou ‘’Os Potros”, no entanto o sucesso do Gladbach acabaria junto com o fim da década de 70. Além da disputa dramática pelo titulo com Bayern, Stuttgart e Hamburgo perdida pela diferença de gols, a década seguinte foi uma verdadeira barreira no clube da Renania, que também viu o título da DFB Pokal ir para o Bayern de Munique, após disputa por pênaltis.

Os anos subsequentes foram terríveis para o clube de Mönchengladbach, onde a torcida viu o clube ocupar apenas a parte inferior da tabela de classificação, além de rebaixamentos para a segunda divisão – mais recentemente em 2007.  Todavia, a história voltaria a conspirar a favor do Borussia M’Gladbach com a chegada do suíço Lucien Favre ao clube em 2011, como uma medida de urgência para evitar um novo rebaixamento a 2.Bundesliga, algo que foi alcançado via playoffs.

Desde então, o Borussia apenas evoluiu no cenário nacional, terminando em 4º na temporada 2011-2012, logo após evitar o rebaixamento; 8º em 12/13; 6º em 13/14 – e mais importante, em 3º na temporada 2014-2015, a mais bem sucedida do clube em décadas. Com uma enorme capacidade de entendimento tático, que inspirou uma corrida impressionante a partir de Fevereiro, quando os Potros conquistaram 33 pontos possíveis de 42, para ultrapassar o Bayer Leverkusen e chegar ao 3º lugar, que daria vaga a fase de grupos da Uefa Champions League, algo que o clube não disputava há incríveis 38 anos.

A segunda temporada de Favre foi simplesmente incrível – depois de todos aqueles anos de mediocridade. Eles perderam jogadores chave como Dante para o Bayern, Neustädter (Schalke) e Reus para o Dortmund – de fato, ninguém diria que eles obteriam sucesso após essas perdas. Eles só precisaram de uma temporada para conseguirem uma reposição, com um staff de scout impressionante – uma das razões pelo sucesso recente”, disse o expert Bastian Thielmann.

A espetacular e brilhante história de Lucien Favre com o Borussia Mönchengladbach chegou ao fim no início da temporada 2015-2016, quando o treinador resolveu pedir demissão após uma sequência de cinco derrotas consecutivas nas primeiras rodadas da Bundesliga – sendo a última delas para o rival Colônia. A direção esportiva se negou a aceitar o pedido do suíço, mas o comandante deixou claro que já não conseguia mais encontrar respostas para os problemas da equipe, sendo assim, levaria o pedido de demissão a imprensa, forçando o clube a aceitar o pedido de desligamento.

Não existem dúvidas sobre o tamanho do impacto que Lucien Favre teve na reconstrução do Borussia – do quase rebaixamento a classificações para competições europeias, além do 3º lugar em 2014-2015. Danke, Favre.

Um comentário

  1. […] Depois de uma importante reconstrução ao evitar o rebaixamento em 2010-2011, Lucien Favre conseguiu algo ainda mais grandioso nas temporadas seguintes, ao finalizar a temporada da Bundesliga 2014-2015 em 3º lugar, a melhor colocação da equipe desde 1986-1987, quando Jupp Heynckes comandava os Foals.O desempenho foi ainda mais surpreendente devido as perdas na janela de transferência daquele ano: Marc-André ter Stegen havia sido negociado com o Barcelona, enquanto Juan Arango, sem acordo contratual, acabou deixando o clube. Por outro lado, o diretor esportivo Max Eberl teve papel importantíssimo na outra ponta, a de contratações. Yann Sommer foi contratado junto ao Basel para repor a saída de Stegen, enquanto Ibrahima Traoré e Fabian Johnson, assinaram a custo zero junto ao Stuttgart e Hoffenheim, respectivamente. Além disso, peças complementares como André Hahn (€2,25M, Augsburg) e Thorgan Hazard, cedido por empréstimo pelo Chelsea.Alicerce da temporada, a defesa do Borussia foi a segunda melhor da competição (26 gols sofridos em 34 jogos), ficando atrás nesse quesito somente do campeão Bayern de Munique (18 gols sofridos em 34 jogos). Contratado para repor a saída de Stegen, o suíço Yann Sommer não deu tempo para a torcida se preocupar e lamentar a perda da prata da casa, enquanto na defesa, o xerife Martin Stranzl estava acompanhado do espanhol Álvaro Domínguez e na esquerda, Oscar Wendt seguia dando conta do recado. A dupla de zaga foi alterada após o triunfo diante do Bayern de Munique (26ª rodada) na Allianz Arena, por 2 a 0, com Jantschke substituindo Stranzl, lesionado. […]

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s