Lothar Matthäus: a história de uma lenda da Bundesliga

noz
Foto: Divulgação/NOZ

Para Löttar Matthäus, tudo terminou como começou. Com 57 anos de idade – encaminhando-se para cinquenta anos da primeira vez que ingressou no clube como um garoto – um dos maiores jogadores da história da Alemanha entrou em campo pela última vez vestindo a camisa do FC Herzogenaurach.

Sempre foi meu sonho atuar profissionalmente pela última vez aqui”, disse o veterano, tendo figurado por 50 minutos no triunfo por 3 a 0 nas divisões regionais. A simbólica aparição em maio de 2018 promoveu outro grande momento na carreira do ex-jogador – entrando para o uma vasta lista de sucesso até a aposentadoria, aos 39 anos, em outubro de 2000.

Ao fim de sua formação com o clube bávaro FC Herzogenaurach – que representa uma cidade com pouco mais de 20 mil habitantes – Matthäus viajou mais de 450km a noroeste para o time – com relações familiares – torceu em sua infância. Em 1979, o jovem de Erlang não poderia pedir por um melhor início em sua carreira profissional do que pelo Borussia Mönchengladbach. Gladbach, ajudado por jogadores estrelares, como Günter Netzer e Jupp Heynckes, havia conquistado, na década passada, cinco títulos de Bundesliga, duas vezes a Uefa Cup, além do vice-campeonato da Champions League.

twitter
Foto: Reprodução/Twitter

A rivalidade com o Bayern de Munique na década de 70 foi épica, mas a nova e ambiciosa contratação dos Foals escreveria seu próprio nome na história do futebol. Sob a tutela de Heynckes – que havia acabado de se retornar o comandante do Borussia após a aposentadoria – o jovem de 18 anos rapidamente conquistou espaço no meio-campo dos Potros. Lötthar atuou em 41 oportunidades em seu ano de estreia, e um de seus seis gols ocorreu diante do Frankfurt na partida de ida da final da Copa Uefa 79/80. Matthäus iniciou ambas as partidas, mas os Eagles venceram a partida de volta por 1-0, triunfando pelo critério de gols como visitante.

Lottar Matthäus seguiu como um dos pilares do Gladbach nos anos subsequentes – sem conseguir terminar acima do 7º lugar, até a campanha 83-84, quando os Die Fohlen ficaram na 3ª colocação, empatando em pontos com os dois primeiros colocados – Stuttgart e Hamburgo, com a diferença pela salva de prata sendo definida pelo saldo de gols. O meio-campista terminou aquela temporada com 11 gols marcados e teve um episódio especial, quando, ao fim da temporada, em Mannheim, Heynckes deixou Matthäus de fora do time, porque o atleta de 23 anos havia anunciado que se juntaria ao Bayern no verão europeu. Com o resultado adverso de 2-1, entretanto, o futuro comandante do Bayern recorreu a Matthäus com 20 minutos para o fim do confronto – e o meio-campista não decepcionou, anotando dois gols para virar a partida.

O futuro reservaria outro momento dramático na carreira do jogador. Depois de uma partida épica contra o Werder Bremen pela semifinal da DFB Pokal, o Gladbach foi a grande decisão diante do Bayern de Munique. Com assistência de Matthäus, Frank Mill abriu o placar para os Foals, mas os bávaros empataram a sete minutos do fim. Já nas penalidades, Lotthar Matthäus, o primeiro a cobrar, acabou desperdiçando, e sua equipe acabou sendo derrotada por 7-6 nas penalidades.

t online
Foto: Divulgação/T-Online

Aquele foi um dos momentos que gostaria de apagar da minha carreira. Você nunca perde um pênalti intencionalmente, especialmente quando você tem a chance de vencer a Copa. Além disso, quando criança, dormia com pijamas do Gladbach”, afirmou a lenda alemã.

Depois de todo o drama com a camisa do Borussia Mönchengladbach, o jogador se juntou ao Bayern de Munique, onde finalmente alcançou seu primeiro título, na temporada 84-85, anotando 16 gols em 33 partidas. Além de outras glórias pelo clube bávaro, Lotthar Matthäus capitaneou a equipe na final da Champions League em 1987, em Viena, diante do Porto, mas acabou derrotado pela equipe portuguesa.

A carreira de Matthäus prosseguiu com inúmeros sucessos e momentos mágicos, como os anos do meio-campista com a camisa da Inter de Milão, tal como o título de campeão do mudo pela Alemanha Ocidental em 1990. Coroando a brilhante carreira, ele conquistou o prêmio de melhor jogador do mundo em 1991, depois de marcar 23 gols em todas as competições durante a temporada 90-91. Ao todo, Lotthar conquistou 7x a Bundesliga, 3x a DFB Pokal e uma Copa Uefa – atuando pelo Bayern de Munique. A exceção a vitoriosa carreira foi a Champions, que os bávaros viriam a conquistar logo após a saída do meio-campista para o MetroStars, dos Estados Unidos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: