Günter Netzer, o meio-campista mágico (e rebelde) do Borussia Mönchengladbach

Foto: Divulgação/Spiegel

Quando se fala em Borussia Mönchengladbach, evidentemente o pensamento se volta para a década de 70, período de ouro da história do clube – e muito disso está associado a presença do meio-campista Günter Netzer, considerado um dos maiores jogadores do mundo na posição.

Tratado como um gênio, Netzer iniciou sua carreira no modesto 1.FC Mönchengladbach, atuando pela equipe sub-19 antes de se transferir para o Borussia Mönchengladbach em julho de 1963. Detentor de uma qualidade técnica fora do usual, Günter Netzer atuava de forma magistral no meio-campo, essencialmente na função de ‘playmaker’, um meia criativo.

Günter era um gênio. Um grande estrategista no meio-campo, responsável por passes fantásticos e uma excelente qualidade na cobrança de faltas e escanteios”, afirmou o antigo companheiro de Netzer, o antigo centroavante, colega de elenco e maior artilheiro da história dos Foals, Jupp Henyckes.

Deixado de fora da final da final da DFB Pokal em 1973, uma decisão controversa por parte do técnico Hennes Weisweiler, o meio-campista, durante a prorrogação, se colocou em campo por livre e espontânea vontade – e o resultado não poderia ser melhor – um belíssimo gol, assegurando o título dos Potros diante de seu maior rival, o Colônia. Depois desse momento mágico, Netzer transferiu-se para o Real Madrid, aonde também teve novas conquistas, conquistando o Campeonato Espanhol e Copa do Rey nas temporadas 74-75 e 75-76, antes de se mudar para o Grasshopper e encerrar sua carreira futebolística.

Durante toda década de 70, o Borussia dividiu a supremacia do futebol nacional com o Bayern de Munique, principal adversário da equipe e que originalmente deu nome ao ‘Der Klassiker’, atualmente atribuído ao confronto entre Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Netzer, uma figura de grande caráter, falou sobre o sentimento dessa disputa: “Para mim, era um paraíso – ter a oportunidade de construir algo desse nível em seu próprio jardim”, afirmou o antigo meio-campista, fazendo referência ao fato de atuar em sua região.

Além da conquista da DFB Pokal em 1973, Netzer colecionou duas conquistas da Bundesliga (69-70 e 70-71) – em uma brilhante carreira corroborada por excelentes números com a camisa do Borussia. Foram 128 gols e 73 assistências em 349 aparições com a camisa dos Potros – levando o maestro ao patamar de um dos maiores jogadores da história do clube, ao lado de Jupp Heynckes, outra lenda em Mönchengladbach. O nome do mascote do Borussia, Jünter, é nomeado em homenagem a Günter Netzer, fazendo referência a pronuncia do primeiro nome do jogador.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: