Herói do playoff de rebaixamento em 2011 com a camisa do Borussia Mönchengladbach, Igor de Camargo falou com exclusividade ao Gladbach Brasil

Foto: Divulgação/Bild

Com bons números pelo futebol belga, o brasileiro Igor de Camargo (que também tem a nacionalidade belga e já atuou pela seleção Red Devil) teve papel importantíssimo na história do Borussia Mönchengladbach – ele vestiu a camisa dos Foals entre 2010 e 2013.

Contratado em julho de 2010, de Camargo, como é conhecido pela Europa, anotou 7 gols em 19 jogos – bons números em uma campanha terrível do Borussia, que contou com uma recuperação incrível para disputar os playoffs de rebaixamento, evitando a queda automática. E foi aí que o brasileiro brilhou: gol e assistência diante do Bochum, nos confrontos que asseguraram a manutenção dos Die Fohlen na elite do futebol alemão.

No jogo de ida diante do Bochum, válido pelo playoff de rebaixamento, Igor levou o Borussia-Park ao ponto máximo de êxtase e explosão, ao marcar o tento da vitória por 1 a 0, já nos acréscimos do segundo tempo. Hoje, aos 36 anos e após rodar pela Europa, de Camargo defende o KV Mechelen-BEL, onde conseguiu o retorno a 1ª divisão belga e o título da copa nacional na temporada passada.

De forma exclusiva, conversamos com Igor de Camargo sobre a passagem dele pelo Borussia e no futebol europeu. Ao todo, o atacante anotou 19 gols e distribuiu seis assistências em 74 jogos com a camisa dos Potros.

Igor de Camargo foi fundamental na reviravolta da história recente do Borussia (Foto: Divulgação/RP Online)

1 – Quando ficou sabendo do interesse do Borussia Mönchengladbach, qual foi sua reação e o que te levou a assinar com o clube?

R: Quando estava no Standard de Liege, depois de fazer duas ótimas temporada no clube belga. Fiquei muito feliz, pois estava indo para uma grande competição europeia e um grande clube alemão.

2 – Igor, você chegou ao Gladbach em uma temporada turbulenta, brigando contra o rebaixamento. Graças a chegada de Lucien Favre, vocês conseguiram chegar aos playoffs do descenso, qual foi a sensação de viver tantos momentos diferentes naquela temporada?

R: Fiquei um pouco apreensivo no início, pois não era aquilo que tinha imaginado viver no Borussia, mas sim o que veio depois, a disputa de uma liga dos campeões. Mas foi um momento de aprendizado e experiência sem igual.

3 – E no jogo confronto diante do Bochum, você marcou um gol importantíssimo, já nos acréscimos, você consegue descrever a emoção daquele momento – e o ambiente do Borussia-Park depois do seu gol?

R: Foi um momento muito especial, uma emoção que só quem está lá dentro sente. Foi um momento mágico, principalmente em ver o amor de uma torcida pelo seu time.

4 – Na temporada seguinte, o Borussia fez uma campanha espetacular, alcançando vaga pra Champions, e tudo isso começou com um gol seu, em um triunfo diante do Bayern de Munique, na Allianz Arena. Estando lá, como você explica essa reviravolta espetacular do Gladbach?

R: Acredito que grande parte daquele sucesso devemos muito ao treinador Lucien Favre, ele teve uma ótica muito precisa em relação à qualidade dos jogadores e do que a equipe necessitava naquele momento.

5 – Durante seu tempo vestindo a camisa do Borussia Mönchengladbach, qual jogo você acredita que tenha sido seu melhor ou mais marcante pelos Potros?

R: Acredito que o jogo contra o Bochum e o contra o Bayern de Munique foram os que mais marcaram. O Bochum por ser o jogo em que ficamos na primeira divisão e o do Bayern pelo fato de que o Borussia não ganhava deles, lá há mais de 25 anos.

6 – Na metade da temporada 12-13, você foi emprestado ao Hoffenheim e logo depois deixou a Alemanha, o que você pode nos dizer sobre esse período de experiência no país?

R: Foi um período de muita experiência, onde aproveitei ao máximo, período de aprendizado, alegrias e momentos não tão bons assim.

7 – Por fim, você atuou por Standard Liêge, Genk, APOEL-CHI e agora está no Mechelen, realizando boa campanha e tendo acumulado bons números pelos clubes que passou. Como está sendo esse momento de sua carreira?

R: Muito bom, vivo um momento onde conseguimos colocar de volta o KV Mechelen de volta a elite do futebol belga, conquistamos a última Copa da Bélgica e estamos na luta por uma vaga nos play-off, ou seja, espero que possamos terminar bem está temporada.

8 – Sua relação com o Gladbach segue muito boa, ganhou recentemente o prêmio de gol da década do clube. É o clube e torcida que tem mais carinho contigo?

R: Não tive uma longa trajetória pelo clube, como tive no Standard de Liege, somente 2 anos e meio, mas acredito que a torcida do Borussia tem um carinho muito grande por mim e espero que eu possa ter ajudado a escrever um pouquinho, a história do Borussia.

Agradecemos imensamente ao Igor de Camargo, que foi bastante solicito ao conceder a entrevista coletiva para o Gladbach Brasil – nesse tempo de atividade, conseguimos quatro entrevistas exclusivas: duas vezes com o maestro Raffael, uma com o jovem Famana Quizera e por fim, essa com o Igor de Camargo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: