Acredite se quiser! Borussia Mönchengladbach goleou a Internazionale por 7 a 1, mas o jogo foi cancelado por causa de uma lata de coca-cola

Foto: Divulgação/IlnobileCalcio

Parece incrível e totalmente inacreditável, mas é verdadeiro: o Borussia Mönchengladbach encarou a Internazionale em 1971 em um jogo válido pela Copa dos Campeões da Europa, a atual Champions League, e surpreendeu o mundo, aplicando 7 a 1 nos italianos, no entanto, o jogo foi cancelado única e exclusivamente por conta de uma lata de coca-cola.

A Internazionale chegava para o confronto com extremo favoritismo e com a boa presença de Roberto Boninsegna, tido como o Tévez 1.0 – o atacante havia anotado 24 gols na conquista do scudetto da Inter. O Gladbach, na época, era totalmente desconhecido na Itália – a expectativa era de um jogo tranquilo e uma volta feliz para a Itália.

Com 27.000 pessoas no Bökelbergstadion, antigo estádio do Borussia, as equipes entraram em um estádio cheio de entusiasmo por parte dos alemães, que estavam igualmente representados pelos jogadores em campo – ali teríamos um jogo, como se diz popularmente. Borussia abriu o placar, Bonimba, apelido de Boninsegna, empatou o jogo, mas Ulrik le Fevre rapidamente retomou a vantagem dos Potros no placar.

Depois de meia-hora de partida, o inesperado aconteceu – Boninsegna, atacante da Inter, foi atingido por uma lata de coca-cola e começou a rolar pelo gramado, aparentemente era uma latinha cheia, para causar tanto estrago. O jogo foi paralisado por sete minutos pelo árbitro Jef Dorpmans, o holandês classificou o ato do atacante como puro teatro e mandou o jogo prosseguir.

A lata estava aberta, não cheia, e foi jogada de aproximadamente 20 ou 30 metros, portanto não teria esse impacto todo no Boninsegna. O ato em si não foi correto (de atirar a lata), mas a resposta do jogador também não”, disse o holandês.

Um dos jogadores da história do Borussia Mönchengladbach, o craque Günter Netzer falou sobre o episódio: “Naquele dia, jogamos o jogo de nossas vidas – ninguém teria nos parado. Venceríamos a Inter mesmo se não tivesse a lata e se o Boninsegna tivesse permanecido em campo”, disse o antigo meio-campista.

Foto: Divulgação/SerpentsOfMadonnina

Apenas recentemente as imagens do jogo foram disponibilizadas, uma vez que o jogo não foi televisionado ao vivo na época, e o acidente não foi pego pelas câmeras, mas os eventos da sequência foram captados. Aparentemente, Mazzola não teria pego uma suposta lata com Netzer, acusado de pegar outra latinha e entregar ao árbitro, mas sim a de um italiano na torcida.

O jogo retornou e o Gladbach foi empilhando gols, terminando o primeiro tempo com 5-1 no placar. Na segunda etapa, Netzer anotou o segundo dele no confronto, antes de Sieloff sacramentar o triunfo com uma penalidade duvidosa. Após a partida, a Inter foi em busca de resoluções fora de campo, tentando alcançar a qualificação na justiça.

Não foi uma partida real. Depois que Boninsegna saiu, o autor do nosso gol, não tivemos mais a mentalidade ideal”, afirmou o ex-defensor Lele Oriali. O capitão Facchetti endossou o discurso “O incidente aconteceu no 2-1, depois daquele momento, não houve jogo”, salientou.

As regulamentações da Uefa não previam alguma forma de favorecer a Inter – e identidade da pessoa que arremessou a lata não foi descoberta, deixando Inter e Gladbach sem qualquer possibilidade de poder apontar o responsável pelo ato.

O homem que teria arremessado a famosa latinha foi revelado como um torcedor holandês do Gladbach. Em entrevista ao Spiegel Online, Dorpmans, árbitro daquela partida, disse que o torcedor acusado não foi a um estádio de futebol desde o incidente, todavia o BILD reportou que o holandês disse que não jogou o objeto na partida.

Depois de decisão controversa, o jogo foi cancelado (foto: Divulgação/IlnobileCalcio

Diante de toda essa confusão, foi decidido que o jogo seria novamente disputado – a primeira partida aconteceu em Milão e o “homem-lata” Boninsegna anotou um dos tentos no triunfo por 4 a 2 dos italianos. Na volta, tendo que atuar no Estádio Olímpico de Berlim, e em um ambiente totalmente hostil, o Borussia voltou a dominar a partida, mas não conseguiu sair do 0 a 0, sendo eliminado da competição.

A decisão foi controversa e causou estranheza, pois foi algo totalmente incomum, tendo em vista que o árbitro e Matt Busby, lenda do Manchester United, e que atuava como delegado da partida, concordaram em dar prosseguimento a partida. Algumas pessoas apontam que a força política da Internazionale foi importantíssima para a punição dada ao Gladbach, penalizado financeiramente e com três com a perda de mando de campo.

A famosa lata de coca-cola estava disposta no museu de GelreDome, no estádio do Vitesse, local no qual o árbitro Dorpmans doou o item. Em 2012, Stephan Schippers, CEO do Gladbach, entrou em contato com o museu em Vitesse e conseguiu com que o item fosse realocado para Mönchengladbach, retornando após 41 anos.

A Inter acabou chegando na final, mas foi superada pelo Ajax por 2 a 0, com dois gols de Johan Cruyff. Por fim, foi o Gladbach que conquistou um troféu – um troféu de alumínio pelo menos.

-> A matéria publicada pelo ”TheseFootballTimes” serviu como base do artigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: