Borussia Mönchengladbach sofre revés diante do Real Madrid, mas conta com ajuda do Shakhtar e conquista classificação inédita no atual formato da Champions League

Foto: Divulgação/Borussia

Obviamente seria um embate extremamente complicado e não foi diferente, o Borussia Mönchengladbach não jogou absolutamente nada e foi derrotado por 2 a 0 pelo Real Madrid, na rodada final da fase de grupos da Uefa Champions League, com dois tentos de Karim Benzema

O técnico Marco Rose iniciou a partida, em teoria, com o maior poderia ofensivo que tinha a disposição, no entanto, taticamente a equipe ficou desajustada com a mudança de Pléa para a ponta e Embolo na referência de ataque. O início do confronto foi razoável, algo que era bom para o Gladbach, que poderia explorar o contra-ataque, porém, Stindl errou um passe muito fácil no meio-campo, gerando o ataque para os espanhóis – Vázquez, aos 9’ recebeu na direita e encontrou Benzema na área, o francês cabeceou com a qualidade de costume e abriu o placar.

Borussia seguia atuando abaixo da crítica e sem pontos positivos e mesmo assim, ainda teve uma chance de ouro para empatar, com Pléa, que recebeu ótimo passe de Neuhaus, progrediu e frente a frente com Courtois, tentou um toquinho por cima, de esquerda e acabou mandando pra fora. Após outra desatenção defensiva, em uma tentativa totalmente equivocada de Wendt, ineficaz na saída de bola, Rodrygo recebeu pela direita, fintou Elvedi e realizou outro cruzamento na medida para Benzema, que cabeceou forte encima de Sommer, dobrando a vantagem.

Os Potros ainda contaram com alguma sorte ao não sair para o intervalo com uma vantagem ainda maior. Totalmente apático e sem oferecer qualquer resistência, o Real chegou novamente pela direita e Modric, sozinho dentro da área, finalizou de primeira, Sommer deu leve desvio com a ponta dos dedos antes da pelota ‘’beijar’’ a trave.

Gladbach destoa, mas conta com resultado alheio para se classificar

Na volta para a etapa complementar, Rose tentou dar algum brio a equipe, novamente em vão. Lazaro, improvisado, entrou na vaga de Wendt, enquanto Embolo deu lugar a Zakaria, mudança a configuração tática. A alteração tática sequer fez efeito algum e o Gladbach seguiu sofrendo imensamente com as chegadas dos madrilenhos, que apenas não aumentaram ainda mais a vantagem graças ao goleiro Yann Sommer.

Alassane Pléa foi responsável pela única chance dos Foals na segunda etapa, de forma bem fortuita, depois de uma cobrança ruim de falta, a bola sobrou para o francês que tentou chute forte no canto baixo de Courtois e a bola passou rente a trave. Gladbach não ofereceu muito mais do que isso e parecia totalmente entregue e não teve um placar mais dilatado também devido ao preciosismo dos donos da casa em alguns lances.

Contando com a sorte que não obtivera nas partidas anteriores diante do próprio Real e da Inter, a equipe aguardou de forma tensa, um empate entre Internazional e Shakhtar – o vencedor se qualificaria na vaga dos Die Fohlen, no entanto, para a sorte do Gladbach, o embate terminou em um empate sem gols e pela primeira vez na história da atual Champions League, o Borussia Mönchengladbach está classificado para as oitavas de final do maior torneio continental do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s