Borussia Mönchengladbach limita volume de jogo do City, mas erros individuais são cruciais em revés na partida de ida das Oitavas de final da Champions League

Foto: Divulgação/IMAGO

Bom, o desafio não era nada fácil, pelo contrário, certamente o mais difícil dessa fase da Uefa Champions League. Jogando na Arena Puskás, na Hungria, devido a restrições da Covid-19, o Borussia Mönchengladbach ‘recebeu’ o Manchester City, que chegou à partida com dezoito triunfos consecutivos. Apesar de conseguir limitar o volume de jogo dos citizens, o Gladbach saiu derrotado por 2 a 0 – tentos de Bernardo Silva e Gabriel Jesus.

A estratégia do Borussia era clara: defender com linhas mais baixas do que o habitual, fechar os espaços e tentar explorar o contra-ataque ou erros defensivos da equipe inglesa. O City, como de costume, dominou a posse de bola, no entanto, diferente da disparidade habitual no controle da posse, superando 80% na maioria dos casos. A equipe comandada por Pep Guardiola até chegava ao fundo do campo em algumas oportunidades, mas a defesa dos Potros conseguia cortar quando acionada.

Aos 29’, depois de recuperar a posse de bola, Christoph Kramer deu passe extremamente equivocado, estando livre e sem qualquer pressão, devolvendo a bola para os citizens. Cancelo, atuando por dentro, avançou, cortou para a perna direita e acertou belíssimo cruzamento para Bernardo Silva, nas costas de Elvedi. O português, que estava sendo marcado por Bensebaini, que desistiu da jogada, cabeceou para abrir o placar na Hungria.

Lars Stindl não conseguiu ter participação efetiva na partida (Foto: Divulgação/DPA)

Na etapa complementar, o Gladbach retornou sem alterações e praticamente com a mesma abordagem na partida. Bensebaini, que não realizou um bom jogo, cometeu erro gravíssimo e entregou a bola de presente para Gabriel Jesus, que avançou para a pequena área, mas sofreu um excelente desarme de Nico Elvedi, evitando o segundo tento dos visitantes. Por outro lado, nas pouquíssimas oportunidades com a bola no campo ofensivos, os jogadores dos Foals falharam na execução. Zakaria venceu disputa com Cancelo na força física e velocidade e tinha Pléa em boas condições para servir, no entanto, o passe do suíço foi além da conta.

Alassane Pléa, inclusive, quase anotou um belíssimo gol, também após jogada de Zakaria, que cruzou para o francês – relembrando o gol de Lazaro diante do Leverkusen, o atacante tentou e quase acertou um gol ‘escorpião’ – um lampejo do Gladbach na partida. O City, por sua vez, dobrou a vantagem aos 65’, depois de mais um cruzamento encontrar Bernardo Silva livre na área, o português escorou de cabeça para Gabriel Jesus se antecipar a Ginter e colocar a bola no fundo das redes.

No último lance da partida, Rodri deu passe equivocado para trás, Wolf conseguiu recuperar e quase diminuiu a desvantagem, parando em boa defesa de Ederson.

Gladbach: Sommer, Lainer (Lazaro), Ginter, Elvedi, Bensebaini; Kramer, Neuhaus, , Zakaria; Stindl (Embolo), Hofmann (Wolf) e Pléa (Thuram)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: