Ídolos

page

Weisweiler, Lattek, Vogts (esq);  Simonsen, Jupp Heynckes e Uwe Kamps (centro); Wimmer, Netzer e Stranzl (dir) são os grandes ídolos do M’Gladbach

Colabore com o GladbachBR!

Já que chegou até aqui, que tal ajudar? Dessa forma, o GladbachBR consegue manter conteúdos exclusivos sobre os Potros

R$1,00

Hennes Weisweiler é um dos treinadores mais importantes da história do futebol e também do Borussia Mönchengladbach, onde conquistou cinco títulos de enorme importância (3x Campeonato Alemão, 1x Copa da Alemanha e 1x a Copa da Uefa). Weisweiler foi responsável por montar um dos melhores times da história do Gladbach, projeto este que começou em 1964 e foi até 1975, com vitórias avassaladoras e um futebol mágico, comandando por jovens que Hennes lançou, tais como Jupp Heynckes, Günter Netzer e Berti Vogts, os três maiores jogadores da história do clube.

Udo Lattek foi o sucessor de Hennes Weisweiler, quando foi contratado para os Potros na temporada 1975-76 e ficou até 1979, conquistando mais dois títulos alemães, além de uma Copa Uefa. Lattek também foi o responsável por guiar o Borussia Mönchengladbach a final da Uefa Champions League contra o Liverpool, no entanto acabou derrotado pela equipe inglesa. Lattek não conseguiu alcançar o tri campeonato pelo M’Gladbach porque a equipe sofreu três gols a mais que o Colónia.

Berti Vogts é um grande ídolo dos Potros, onde jogou toda sua carreira profissional, no período entre 1965 e 1978. Vogts foi um dos melhores defensores da época e é o 2º jogador que mais vestiu a camisa do M’Gladbach na história, com 496 partidas e 39 gols. Berti também seguiu carreira como treinador e comandou diversas seleções (Alemanha, Escócia, Nigeria e Azerbaijão). Vogts foi responsável por parar Johan Cruyff na final da Copa do Mundo de 1974 quando a Alemanha derrotou a Holanda.

Jupp Heynckes é um dos maiores, se não for o maior, ídolo do M’Gladbach. Ele é o maior artilheiro da história do clube com 240 gols em 357 jogos e esteve na época do ouro do Gladbach, na década de 70. Heynckes, que é natural de Mönchengladbach, defendeu a equipe em dois períodos: 1963-1967 e 1970-1978 e também foi técnico dos Potros em algumas ocasiões. Seu jogo de despedida como treinador, inclusive, foi contra o M’Gladbach no Borussia-Park, quando comandava o Bayern de Munique, que venceu por 4-3.

Herbert Wimmer, ou apenas ‘’Hacki’’, atuou por toda sua carreira no Gladbach entre 1966 e 1978 e esteve presente em todas as grandes conquistas dos Potros. Hacki conquistou o Campeonato Alemão cinco vezes e a Copa Uefa em duas ocasiões. O meio-campista fez 434 jogos e 59 gols.

Günter Netzer, meio-campista de grande talento, formou um dos melhores ataques da Alemanha e do mundo na década de 70, junto com Jupp Heynckes e Simonsen. Foram 271 partidas, 93 gols e 72  assistências durante sua passagem vitoriosa pelo M’Gladbach.

Martin Stranzl, o general da defesa do M’Gladbach nos últimos anos, também se firmou como um dos grandes ídolos da história do clube. Stranzl chegou aos Potros em 2011 e foi um dos responsáveis pela incrível recuperação que evitou um novo rebaixamento do Borussia. Martin tem como característica um grande poder de liderança dentro da equipe e dessa forma conquistou enorme reconhecimento da torcida. Stranlz, que disputou 145 jogos e anotou 10 gols com a camisa do Gladbach, anunciou aposentadoria ao final da temporada 2015-2016.

Uwe Kamps é o jogador que mais vestiu a camisa do Borussia M’Gladbach na história do clube, com 512 participações em jogos. Ele fez sua estreia em Março de 1983 e após três temporadas se consolidou como titular absoluto. Na temporada 91-92 Kamps fez a melhor exibição de sua carreira ao defender todos os quatro pênaltis nas penalidades diante do Bayer Leverkusen na semifinal da Copa da Alemanha, a qual os Potros viriam a perder para o Hannover.O arqueiro conseguiu seu único título com a camisa dos Potros na temporada 1994-1955, quando o Gladbach derrotou o Wolfsburg por 3-0 na final da Copa da Alemanha

Allan Simonsen é um dos maiores jogadores da história do Borussia e também do mundo! O atacante dinamarquês detém a marca de 4º maior artilheiro da história do Gladbach e, além disso, é um dos maiores vencedores do clube, tendo conquistado nada menos 3x Bundesliga, 2x Uefa Cup, 1x Copa da Alemanha e foi responsável por levar o clube à final da Uefa Champions League em 1977, quando o Gladbach acabou derrotado pelo Liverpool. Simonsen é, notavelmente, o jogador mais influente da história da Dinamarca, com destaque para sua humildade e dedicação em servir seus companheiros independende do status que detinha de ser um dos melhores jogadores da Europa nos anos 80. Simonsen ganhou a bola de Ouro e foi eleito o melhor jogador europeu em 1977.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: